Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A pronúncia do latim

 

Ler um texto escrito em latim é, praticamente, como ler um texto escrito em português. A pronúncia é igual.

 

A evolução da língua latina nas diferentes regiões do império romano, em contacto com os falares locais, levou a que o latim começasse a ser pronunciado de forma diferente do que seria a língua falada em Roma. A distância em relação ao centro, Roma, as características daqueles que trouxeram a língua às diferentes regiões — magistrados, soldados e outros — foram factores importantes na introdução do latim que, com a influência das línguas autóctones, foi sofrendo evolução.

Assim, temos de considerar para a pronúncia do latim essa influência local. Por isso a pronúncia, dita tradicional, é diferente em Portugal, em França ou na Itália.

 

A. Os filólogos fizeram estudos comparativos e estabeleceram o que seria a pronúncia clássica da língua latina.

  1. o alfabeto latino não tinha as letras j e v (só foram introduzidas mais tarde,no século XVI, pelo humanista Petrus Ramus — daí chamarem-se letras “ramadas”— para representar o i e o u com funções consonânticas).
  2. As vogais a e o eram, em geral, abertas
  3. As semivogais i e u tinham valor consonântico antes de vogal
  4. Os ditongos:

          -       ae pronunciava-se ai  (exemplo: personae - personai)

          -       oe pronunciava-se  oi  (exemplo: poena - poina)

    5. O c é sempre gutural surda (exemplo Caesar - Kaiser)

    6. O g é sempre gutural sonora (como no português garganta)

    7. O s é sempre sibilante surda (exemplo: nisi – nissi)

    8. O t é sempre uma dental surda (exemplo: scientia – skientia)

  9. O m e o n em final de palavra pronunciam-se sempre (não vão anasalar a vogal anterior, como em português)

   10. O h tinha uma aspiração

 

B. A pronúncia dita tradicional aproxima o latim da evolução que depois teve para o português. Assim:

  1. o grupo –ti- seguido de vogal (mas não precedido de s,t,x), lê-se –ci-

          exemplo: initium (inicium) —  hostium (hostium)

 

     2. Os ditongos ae e oe lêem-se como e

 

           exemplo: caelestis (celestis); poena (pena)

 

     3. Os grupos ch, ph, th, rh lêem-se como k,f,t,r

 

           exemplo: philosophus (filosofus); theatrum (teatrum)

 

C. Há, ainda, a pronúncia eclesiástica, a pronúncia usada na Igreja Católica, que segue a pronúncia de Roma. Esta aproxima os sons latinos dos sons da língua italiana.

 

— Nas escolas, na leitura dos autores clássicos, usa-se a pronúncia clássica ou restaurada.

— Nas expressões latinas que regularmente usamos em português, e que entraram no uso comum, é costume usar-se (e faz mais sentido) a pronúncia tradicional. Assim, em curriculum vitae, diremos curriculum vite,  e não curriculum uitai.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:24


Mensagens


13 comentários

De Daniel a 04.03.2014 às 03:08

Tenho algumas perguntas:
01. Na pronúncia tradicional, podemos anasalar as vogais, quando há m,n finais?
02. Como devem ser a pronúncia das vogais(A e E) na tradicional? Aberta ou fechada? Há alguma diferença quando for longa ou curta(tanto na tradicional quanto na Clássica)?
03. Na tradicional, o duplo r devem ser dois sons distintos? Ou um único como os Rs de meio de palavra?

Obrigado pela ajuda!

De isa a 04.03.2014 às 11:04

1.Em relação ao -m, diria que sim, tal como em português; o -n final tem que ser sempre ouvido — carmen.
2. as vogais A e E são sempre abertas, na pronúncia tradicional. Na pronúncia clássica as vogais longas são sempre mais fechadas, se bem que haja opiniões diferentes.
3. o duplo r é sempre pronunciado como em português quando é duplo.

De Carlos a 04.03.2014 às 04:04

A pronúncia tradicional portuguesa é igual à brasileira?

De isa a 04.03.2014 às 11:04

Se o Brasil fala português, deve ser igual...

De José a 04.03.2014 às 16:12

E a pronúncia da letra Z? Deve-se usar o som DZ ou o próprio Z?

De isa a 04.03.2014 às 17:47

Sim o Z deve ler-se DZ

De Anónimo a 17.04.2014 às 01:00

Inclusive na tradicional?? Li noutras fontes que seria o próprio Z...

De José a 05.03.2014 às 03:43

E «L», deve ser pronunciado como /l/ ou /w/ em cada pronúncia?

De isa a 05.03.2014 às 17:03

O L é sempre um l, como em português.

De José a 05.03.2014 às 17:31

Até o L final na pronúncia tradicional?

De Anónimo a 20.10.2015 às 18:53

Numa palavra como "uulgata", há a crase dos "u"s num único. Ou cada um é bem pronunciado?

De isa a 20.10.2015 às 21:36

Nunca se dá tal "crase". O primeiro u tem função consonântica (vulgata) deve ser pronunciado tal como o segundo, como em uulgus (port. vulgo), em uulnus, uulneris (donde vem o português vulnerável), etc.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D



calendário

Março 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Comentários recentes

  • Anónimo

    Tradução ...

  • isa

    O Boletim de Estudos Clássicos só pode ser encontr...

  • isa

    Atenção à tradução:Sabini Romanorum seruos audiunt...

  • Anónimo

    ...

  • Anónimo

    Tradução do texto simplificado Europa é um lu...