Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LATIM PARA AMADORES

Este é um caderno de notas, de apontamentos — vamos aprender latim. É um curso para amadores — amadores no sentido etimológico do termo: "amador" é "aquele que ama", aquele que ama a língua latina e quer aprendê-la.

LATIM PARA AMADORES

Este é um caderno de notas, de apontamentos — vamos aprender latim. É um curso para amadores — amadores no sentido etimológico do termo: "amador" é "aquele que ama", aquele que ama a língua latina e quer aprendê-la.

“A união faz a força”

Séneca, filósofo (c.4 a.C. – 65 d.C.), Lúcio Aneu Séneca, o Jovem (para o distinguir do pai, Séneca, o Velho, o retórico), estudou em Roma retórica e filosofia e alcançou elevada consideração como orador e como escritor, chegando a ser o preceptor do futuro imperador Nero.

Deixou uma vasta obra e dela se destacam as Cartas a Lucílio, um conjunto de 124 cartas dirigidas ao seu amigo Lucílio, desenvolvendo variadíssimas questões filosóficas. Temas como a felicidade, o medo, a riqueza, a morte, a vida e os seus valores, o bem e o mal, a educação, entre muitos outros, dão-nos também a sua visão pessoal da época em que vivia.

Dessas cartas podemos extrair ensinamentos para o nosso tempo, como o que está presente na frase que se segue, na qual mostra a importância da sociedade na ajuda e no equilíbrio individual — sozinhos somos fracos, unidos tornamo-nos fortes:

 

Societas nostra lapidum fornicationi simillima est, quae, casura nisi in uicem obstarent, hoc ipso sustinetur.

Séneca, Cartas a Lucílio, 95, 53

Vocabulário:

  • fornicatio, fornicationis: abóbada
  • lapis, lapidis (f.): pedra
  • similis, simile : semelhante (com o seu complemento em dativo)
  • casura : particípio futuro do verbo cado, is, ere, cecidi, casum: cair
  • in uicem : alternadamente, por sua vez, sucessivamente  - de uicis, genitivo de uix (nominativo desusado)
  • obstare : impedir; pôr obstáculo
  • sustinere : manter, resistir

 

Tradução:

A nossa sociedade é muito semelhante a uma abóbada de pedras, que iria cair se não pusessem obstáculos umas às outras, por isso mesmo se sustém.

Ou:

“A sociedade humana assemelha-se em tudo a um arco abobadado: as pedras que, sozinhas, cairiam, sustentam-se mutuamente, e assim conseguem manter-se firmes!”

Tradução de Segurado e Campos, Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.

 

Mas a língua tem as suas cambiantes e prega-nos partidas; por isso conhecer a etimologia é sempre muito importante:

Da família de fornicatio é este outro substantivo:

fornix, fornicis: arco, arco de ponte; abóbada; arco triunfal

Segundo o Dictionnaire étymologique de la Langue Latine de Ernout-Meillet, na época imperial, o sentido de “arco triunfal” começa a ser substituído pelo vocábulo “arcus” e “fornix” é mais utilizado no sentido de “abóbada subterrânea” e especialmente “quarto abobadado” como os que eram habitados pelas pessoas de baixa condição social e pelas prostitutas. Daí ter passado a ser usado, na linguagem popular, com este significado e, especialmente, entre os cristãos. É também com este sentido que palavras desta família, como o verbo fornicare, aparecem em Plínio e mesmo em Horácio (fornix: lugar de prostituição, lupanar, aparece nas Sátiras de Horácio) e no autor cristão Tertuliano, por exemplo. Em Vitrúvio aparece apenas no sentido arquitectónico.

Em português, temos, na linguagem arquitectónica, fórnice “abóbada ou arco de porta”

E, tendo em conta a estrutura arqueada, na anatomia aparece o mesmo termo, fórnice, como:

— “fundo do saco entre o colo uterino e as paredes da vagina”;

— “trígono cerebral”

— “O fórnix ou trígono é um conjunto de fibras nervosas do cérebro que faz parte do sistema límbico, envolvido na emoção, motivação e memória de longo prazo.”

(in https://pt.sainte-anastasie.org/articles/neurociencias/frnix-o-trgono-cerebral-anatoma-y-funciones.html )

— “O fórnix vaginal (latim para arco) é a região de encontro do canal vaginal com o colo do útero

 (https://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%B3rnix)

 ***********************************************

Questões gramaticais:

1. Substantivos de tema em consoante (3.ª declinação)

societas, societatis — tema em dental : societat- (tirando a terminação -is de genitivo encontramos o tema da palavra); nominativo sigmático — forma-se acrescentando ao tema um -s [societat- s — a dental é assimilada pela sibilante -s, daí societas ]

lapis, lapidis — tema em dental: lapid- [ igualmente nominativo sigmático ].

fornicatio, fornicationis — tema em consoante nasal -n : fornication- [nominativo assigmático, é igual ao tema, mas a nasal cai, daí fornicatio]

Declinação

                              Singular                  Plural

Nominativo        lapis                       lapides

Vocativo              lapis                       lapides

Genitivo              lapidis                    lapidum

Acusativo           lapidem                 lapides

Dativo                 lapidi                      lapidibus

Ablativo              lapide                    lapidibus

 *************

2. Graus dos adjectivos — o superlativo

a.

simillima : superlativo do adjectivo similis, simile : semelhante

Adjectivos terminados em – ilis, formam o superlativo com o sufixo – illimus, a, um

Outros exemplos:

facilis, facile : fácil — superlativo: facillimus

humilis, humile : humilde — superlativo: humillimus

gracilis, gracile : gracioso, delgado — superlativo: gracillimus

       Note-se que em português temos a mesma formação, exactamente seguindo a regra latina.

b. o mais comum é o superlativo em -issimus, a, um

  • clarus, clara, clarum — superlativo clarissimus
  • fortis, forte — superlativo fortissimus

 

c. há ainda aqueles adjectivos que terminam em -er no nominativo do singular masculino e que fazem o superlativo com o sufixo -errimus, a, um

  • pulcher, pulchra, pulchrum  — superlativo pulcherrimus

Veja-se o português celebérrimo (latim: celeber, celebris, celebre), paupérrimo (latim: pauper, pauperis)

 ************

3. Flexão verbal o particípio futuro

O particípio futuro é uma forma nominal do verbo; declina-se como um adjectivo da 1º classe e forma-se a partir do radical do supino acrescentando o sufixo – urus, - ura, - urum

Assim:

  • laudo, laudas, laudare, laudaui, laudatumparticípio futuro: laudaturus, laudatura, laudaturum
  • cado, cadis, cadere, cecidi, casum : cair — particípio futuro: casurus, casura, casurum : que há-de cair

 

Nouum iter 10

Continuando com Ovídio e os seus poemas do exílio.

Ainda a elegia IX do Livro I

Depois dos lamentos sobre o abandono dos amigos em tempos menos felizes, o poeta estabelece comparações:

aspicis, ut ueniant ad candida tecta columbae,
     accipiat nullas sordida turris aues.
horrea formicae tendunt ad inania numquam:
     nullus ad amissas ibit amicus opes.

                                                                      Tristia, I, IX.

Começa com uma forma verbal na 2ª pessoa do singular:

—  aspicis : do verbo aspicio ou adspicio (composto de ad + specio) : olhar, examinar; considerar

O poeta convida o leitor a considerar estes exemplos que comprovam o que ele afirmou nos versos anteriores.

               considera / vê / observa ....

              ut : que [ as orações que se seguem têm o verbo no modo comjuntivo: ueniant, accipiat

Atente-se, então,  nos contrastes dos 4 versos:

Columbae ueniant ad candida tecta                          columba, ae : pomba ; candidus, a, um : branco, belo

Turris sordida accipiat nullas aues              turris, is : torre ; sordidus, a, um : sujo ; accipio, is, ere : receber

Formicae tendunt horrea .... nunquam ad inania

Nullus amicus ibit ad amissas opes

 

1º verso:

— sujeito do verbo de movimento — ueniant —  : columbae

— ad candida tecta : complemento de ueniant — indica o lugar para onde vêm

                    Tradução: as pombas vêm para os telhados/casas brancos(as)

2º verso:

— sujeito: turris sordida

— nullas aues — complemento directo de accipiat

                      Tradução: uma torre suja não recebe nenhumas aves

—— Veja-se como candida tecta (casas brancas/limpas) se opõe a turris sordida (torre suja)

3º verso:

— sujeito : formicae — sujeito de tendunt                  formica, ae :  formiga ; tendo, is, ere : dirigir, dirigir-se; procurar

— horrea  ....  ad inania (ad horrea inania):  lugar para onde           horreum, i (n.): celeiro ; inanis, inane : vazio

                      Tradução:   as formigas nunca se dirigem para os celeiros vazios

4º verso:

— sujeito: nullus amicus   — da forma verbal ibit ( futuro do verbo ire : ir)

— ad amissas opes : complemento de lugar para onde (ad+ acusativo)

                         amissus, a, um : particípio passado de amitto, is, ere, amisi, amissum (perder)

                         opes, opum : recursos, riqueza

                  Tradução: nenhum amigo irá/se dirigirá  para os recursos perdidos/ as riquezas arruinadas

 

Tradução dos 4 versos:

                      Vê como as pombas procuram

as casas limpas e uma torre imunda

nenhuma ave recebe. As formigas nunca se dirigem

para os celeiros vazios e nenhum amigo

correrá para as fortunas arruinadas.

                                                                                           (tradução de Albano Martins)

E continuam as comparações nos versos seguintes:

utque comes radios per solis euntibus umbra est,
     cum latet hic pressus nubibus, illa fugit,
mobile sic sequitur Fortunae lumina uulgus:
     quae simul inducta nocte teguntur, abit.

 

Tradução de Albano Martins:

Como a sombra que nos acompanha quando

caminhamos aos raios do sol e que,

quando uma nuvem o oculta, foge,

assim o vulgo inconstante segue o brilho

da fortuna e vai-se quando a chegada

duma nuvem o obscurece.

 

Exercícios:

  1. Confronte o texto latino com a tradução:
  2. A que palavras latinas corresponde a tradução “a sombra que nos acompanha”?
  3. Quais as palavras que foram traduzidas por “vulgo inconstante”
  4. Qual a palavra latina para “raios” (do sol)?
  5. Atente nos vocábulos:

          - umbra (umbra, umbrae)

          - nubibus (nubes, nubis)

          - lumina (lumen, luminis)

5.1. Encontre palavras portuguesas que, pela etimologia, se relacionem com estas palavras latinas.

 

Nouum iter 9

Do seu exílio junto ao Mar Negro, Ovídio escreve um conjunto de poemas dirigidos à mulher e aos amigos, poemas reunidos sob o título de “Tristia”, “coisas tristes”, representando os dias de tristeza do poeta, nessa terra distante, sozinho e esquecido.

Nascido em Sulmona, no ano 43 a.C., Ovídio viria a falecer em Tomos, nas costas do Mar Negro (cidade correspondente à actual Constança, na Roménia), onde chegou no ano 8 d.C., cumprindo o exílio decretado pelo imperador Augusto. O volume Tristia reúne um conjunto de poemas compostos nesses anos de exílio. Neles o poeta descreve o ambiente que o rodeia, lamenta a sua sorte, fala do abandono, da saudade de Roma, dos amigos e da família e pede que intercedam por ele para que possa regressar.

No livro I,  a Elegia Nona começa assim:

statuia_lui_ovidiu.jpg

        Que a ti, que lês esta obra como amigo,

        te seja concedido atingir sem desgostos

        o termo da vida! E oxalá que para ti

        possam cumprir-se os votos que para mim

        os deuses insensíveis não lograram.

 (tradução de Albano Martins, Ed. Afrontamento, 2017)

 

E continua o seu lamento nos versos seguintes:

donec eris sospes, multos numerabis amicos:
     tempora si fuerint nubila, solus eris.

 

Vocabulário:

donec (conjunção temporal) : enquanto (tem o verbo no modo indicativo)

sospes, sospitis (adjectivo uniforme): são e salvo; propício; feliz

numero, as, are, aui, atum : contar; ter; enumerar

tempus, temporis (n.): tempo

nubilus, a, um (adjectivo): coberto de nuvens; nublado; sombrio

solus, a, um (adjectivo): só; solitário; sozinho

Formas do verbo esse — verbo irregular: sum, es, esse, fui

     eris : 2ª pessoa do sing. do futuro imperfeito

     fuerint : 3ª pessoa do plural do futuro perfeito

Todas as formas verbais destes dois versos se encontram no tempo futuro: 3 formas do verbo irregular esse (eris, fuerint, eris)

Uma forma do verbo numerare (verbo de tema em -a):  numerabis  (2ª pessoa do singular)

Analisemos:

— oração 1ª -  a afirmação : numerabis multos amicos   [ o sujeito é tu, visto que o verbo está na 2ª pessoa do singular];

      A tradução é simples: tu contarás muitos amigos

— dependente desta ideia vem a oração que se encontra no início da frase: donec eris sospes

Trata-se de uma oração temporal, introduzida pela conjunção donec ; o verbo está no modo indicativo — eris “serás, estarás” — ;

Para a tradução, no entanto, há que ter atenção a construção da frase em português e a sua estrutura em termos de relação tempo/modo.

A conjunção “enquanto” exige, em português, a forma verbal no modo conjuntivo – neste caso tempo futuro (refere-se a uma acção que poderá acontecer no futuro, aqui numa oração temporal, dependente de uma oração principal no futuro)

logo: tu contarás muitos amigos, enquanto fores feliz

 

Mantendo a ordem do verso:

Enquanto fores feliz, contarás muitos amigos

 

Passando ao 2º verso:

     tempora si fuerint nubila, solus eris.

Começa, de novo, pela oração subordinada, tendo de seguida a oração principal.

Logo:

— solus eris : estarás sozinho [ em oposição a multos numerabis amicos do verso anterior]

— si tempora fuerint nubila

Temos, agora, uma oração condicional, introduzida pela conjunção si .

A forma verbal — fuerint — encontra-se no futuro perfeito, modo indicativo [ o futuro perfeito designa uma acção futura concluída antes de outra acção futura — assim, a acção indicada nesta oração condicional estará completa antes daquela que é apresentada na oração principal — ... tempora nubila fuerint ... solus eris ]

Tradução:

Se os tempos forem sombrios, estarás só

 

É esse o lamento do poeta desiludido: quando vivia em Roma, vivia bem, tinha uma vida de glória motivada pela sua arte, tinha muitos amigos; agora, longe da pátria, sem influências políticas e sociais, sente-se abandonado pelos amigos, num momento em que mais precisava deles

 

Enquanto fores feliz, contarás numerosos amigos:

se os tempos se tornarem nublados,

ficarás só.

                                                                    (tradução de Albano Martins)

 

 

Sintetizando os aspectos gramaticais:

Flexão verbal:

Verbo irregular:  esse                                                 Verbo de tema em - a : numerare

    Futuro Imperfeito         Futuro Perfeito                Futuro Imperfeito

      ero                                      fuero                                   numerabo

      eris                                      fueris                                  numerabis

      erit                                      fuerit                                   numerabit

      erimus                                fuerimus                             numerabimus

      eritis                                   fueritis                                 numerabitis

      erunt                                  fuerint                                  numerabunt

Ovídio.jpg

 

Nouum iter 8

Na sequência do post anterior, voltemos à República de Ragusa, onde, no século XIV, se estabeleceram as regras de quarentena

Interessante, também, o Lema da República de Ragusa:

                        Non bene pro toto libertas venditur auro

 

Vemos aqui a defesa de um valor universal — a LIBERDADE

O  lema diz que “ a liberdade não se vende”

a.

Iniciada pela negativa non , a frase tem como sujeito libertas

libertas — sujeito de uenditur /venditur

libertas, libertatis (nome da 3ª declinação, tema em consoante – dental – t ) – veja-se o post anterior sobre a formação do nominativo sigmático

uenditur — forma passiva do verbo: uendo, uendis, uendere, uendidi, uenditum  “vender”

libertas non uenditur : a liberdade não é vendida / não se vende

 

recordar como se enuncia um verbo — dizendo: a 1ª pessoa do singular do presente do indicativo (uendo), a 2ª pessoa do singular do mesmo presente do indicativo (uendis), o infinitivo presente (uendere), a 1ª pessoa do singular do pretérito perfeito (uendidi ), o supino (uenditum)

 

Este verbo é de tema em consoante — olhando para o infinitivo uendere , a vogal  e  da penúltima sílaba – de – é uma vogal breve, é uma vogal de ligação, logo, o tema do verbo é  uend-

+++++++

Vejamos a conjugação do presente do indicativo na voz passiva:

     uendor

     uenderis                     entre o tema e a desinência pessoal, quando esta começa por consoante, introduz-se

     uenditur                         uma vogal de ligação : uend – i - tur

     uendimur

     uendimini

     uenduntur

 

b.

pro toto auro : por todo o ouro/em troca de todo o ouro

      a preposição pro rege um ablativo (toto auro) e tem o sentido de “em troca de, por, em favor de”

o adjectivo  totus, tota, totum significa “todo”, “inteiro”  (indica a totalidade, a duração total)

       sentido diferente de omnis, omne  “todo”

Logo,  toto auro  indica todo o ouro que existe, a totalidade do ouro, todo o ouro do mundo

               aurum, auri (neutro, 2ª declinação): ouro

                                                                                             [ símbolo químico do ouro :  au ]

Veja-se a diferença:

omnes noctes : todas as noites

totae noctes : noites inteiras

 Tradução:

         —  Felizmente a liberdade não se vende por todo o ouro do mundo

********

Esta mesma expressão é citada no Prólogo que Miguel Cervantes dirige ao “Desocupado Leitor” da sua obra D. Quixote e vem a propósito das citações que sempre devem ser feitas:

“Enquanto ao negócio de citar nas margens do livro os nomes dos autores, dos quais vos aproveitardes para inserirdes na vossa história os seus ditos e sentenças, não tendes mais que arranjar-vos de maneira que venham a ponto algumas dessas sentenças, as quais vós saibais de memória, ou pelo menos que vos dê o procurá-las muito pouco trabalho, como será, tratando por exemplo de liberdade e escravidão, citar a seguinte: Non bene pro toto libertas venditur auro, ...”

 

Do latim ao português:

De libertas deriva a palavra portuguesa “liberdade”. Vejamos como se deu a evolução:

A grande maioria das palavras portuguesas deriva do acusativo latino, por isso se chama a este caso o caso etimológico.

Assim:

acusativo libertatem  > libertate > liberdade

Que fenómenos fonéticos se deram aqui?

a queda do -m final de acusativo, fenómeno que sempre acontece, apócope (queda de um som no fim da palavra)

a passagem da consoante dental surda intervocálica – t – à dental sonora – d -  , fenómeno a que se dá o nome se sonorização (as consoantes oclusivas surdas intervocálicas passam a sonoras)

O mesmo se dá na passagem de:

    caritatem ao português  caridade

    lupum ao português lobo

    lacum a lago

    totum a todo

 

 

Nouum iter 7

Quarentena e sua história

A  Repúbica de Ragusa — chamada primeiro Communitas Ragusina e mais tarde Respublica Ragusina — correspondente à actual Dubrovnik, na Croácia, estabeleceu, no século XIV, um regulamento para todos os que voltavam das regiões atacadas pela peste que então assolava, nomeadamente, a vizinha Itália.

Assim, elaborou um código de regras específicas com o título:

 

De ordinibus contra eos qui veniunt de locis pestiferis anno 1397 factis

 

Analisemos a frase que dá título a esse conjunto de regras:

 

De ordinibus ... factis  (anno 1397) —————>  contra eos

                                                                                                |  qui ueniunt

                                                                                                               |  de locis pestiferis

a.

de ordinibus — introduz o assunto de que trata o texto

temos o substantivo ordo, ordinis ( 3ª declinação, tema em consoante), no ablativo do plural

de + ablativo — temos, neste caso, um complemento a que podemos chamar de assunto ou matéria de que se fala; é construção familiar no título de tratados, enunciando a matéria que texto irá tratar

Logo, este texto irá tratar “ das regras “

Concordando com ordinibus, temos, no fim da frase factis

b.

Vem depois o complemento de tempo (tempo em que) no ablativo — anno “no ano de 1397”

 

Portanto : sobre as regras feitas/elaboradas

 

Esta mesma construção está presente no título de inúmeros tratados de Cícero, por exemplo:

     — De Oratore : sobre o orador

     — De Natura Deorum : sobre a natureza dos deuses

     — De Senectute : sobre a velhice

     — De Amicitia : sobre a Amizade

c.

As regras diziam respeito, especificamente, a determinados indivíduos, eram : contra eos... qui ueniunt

contra (preposição) + acusativo eos (eos acusativo do plural, masculino, de is,ea,id ): contra aqueles que vêm

d.

temos depois, um outro complemento em ablativo regido da preposição de

     de locis pestiferis

Este complemento, que se liga a um verbo de movimento – ueniunt – indica o lugar de origem (lugar donde)

Logo:

As normas/regras eram “contra aqueles que vêm dos lugares pestíferos/atacados pela peste”

 

Questões gramaticais a fixar :

Flexão nominal

A 3ª declinação

— temas em consoante, nomes com nominativo assigmático, nominativo igual ao tema:

orator, oratoris — tema: orator -   (tema em consoante – r ); nominativo do singular: orator

ordo, ordinis — tema: ordin- < ordon-   ( nos temas em nasal – n a nasal cai na formação do nominativo)

 

— temas em consoante, nominativo sigmático (forma-se o nominativo do singular acrescentando um – s ao tema)

senectus, senectutis — tema: senectut – (tema em consoante dental -t); nominativo do singular: senectut -s > senectus (o  - s assimilou o  - t)

                                   Singular        Plural                      Singular                     Plural

Nominativo :          orator  —      oratores                   senectus        —    senectutes

Vocativo:               orator    —     oratores                   senectus        —    senectutes

Genitivo :              oratoris  —    oratorum                  senectutis      —    senectutum

Acusativo:            oratorem  —  oratores                  senectutem     —   senectutes

Dativo:                   oratori     —  oratoribus                senectuti         —   senectutibus

Ablativo :               oratore   — oratoribus                  senectute       —    senectutibus

 

Flexão verbal

Verbos de tema em  - i

uenio, uenis, uenire, ueni, uentum : vir  — infinitivo: uenire ; tema : ueni -

audio, audis, audire, audiui, auditum : ouvir

Presente do indicativo

    uenio

    uenis

    uenit

    uenimus

    uenitis

    ueniunt

Exercícios:

1.Complete a frase com a forma adequada e traduza:

a. Ciues in foro ..................................... audiunt.       oratori  / orator  / oratores

b. Petrus  oratorem ............................................ .      audiunt  /   audit   / audimus

2. Escreva em latim:

a. Eu ouço o discurso (oratio, orationis ) do orador no foro.

b. Nós ouvimos (=  estamos a ouvir) no foro um orador brilhante. (brilhante: clarus, clara, clarum)

 

Nouum iter 6

Outros relógios que falam (2):

I.

sol omnibus.jpg

Sol omnibus lucet. 

Frase simples constituída por:

— sujeito: Sol ( nome da 3ª declinação, sol, solis)

— verbo: lucet (3ª p.sing. indicativo presente):

    luceo, luces, lúcere, luxi : brilhar; nascer (o sol)

— complemento: omnibus (dativo do plural).

      omnis, omne: todo

Então, a tradução é simples: O sol brilha para todos.

 

Questões gramaticais:

  1. O verbo presente na frase é de tema em – e

    — encontramos o tema no infinitivo — lucere — tirando a terminação do infinitivo – re ; logo, fica luce- a terminar em -e

 

Vejamos a conjugação do verbo lucere em todas as pessoas do presente do indicativo:

luceo

luces

lucet

lucemus

lucetis

lucent

 

  1. declinação de omnis, omne [ omnis é masculino e feminino; omne é neutro]

                                      Singular                     Plural

Nominativo :      omnis   omne        ;       omnes    omnia

Vocativo:            omnis    omne       ;        omnes   omnia

Genitivo :                   omnis              ;               omnium

Acusativo:          omnem  omne      ;       omnes    omnia

Dativo :                     omni                 ;                omnibus

Ablativo:                   omni                 ;                omnibus   

 

Notas:

- este adjectivo já tinha aparecido no post anterior

- trata-se de um adjectivo classificado como biforme, quer dizer, no nominativo do singular apresenta duas formas, uma para o masculino e o feminino  e outra para o neutro

- alguns casos têm uma só forma, visto que a terminação é igual qualquer que seja o género

 

Extensão de conhecimentos:

1. de omnibus vem a designação dos transportes colectivos, que são para todos:

     - ónibus (português do Brasil)

     - bus ( inglês)

2. Outras frases:

    — Labor omnia uincit : o trabalho tudo vence [ omnia —  acusativo do pl. neutro: todas as coisas, tudo]

    — Amor omnia uincit : o amor tudo vence

3. A mesma expressão “sol lucet omnibus” é o lema de uma universidade:   

A expressão lembra-nos a igualdade de direitos, neste caso, o direito cultura, à ciência

Imagem1.png

- em português temos a expressão equivalente:

           — o sol quando nasce é para todos

 

Do Latim ao Português:

omnis é elemento de formação dos vocábulos:

    - omnipotente : que pode tudo

    - omnipresente: que está em todo o lado

    - omnisciente : que sabe tudo

    - omnívoro : que come tudo (que se alimenta tanto de animais como de vegetais)

            etc.

 

II. Tempus fugit uelut umbra

                                                                                          tempus-fugit.jpg

Este relógio fala-nos da velocidade do tempo:

— O tempo foge como a sombra

Vejamos o latim:

tempus — nominativo do singular, sujeito

         ( do nome neutro, de tema em consoante,

               tempus, temporis : tempo)

fugit : 3ª p. sing. do indicativo presente

    verbo: fugio, fugis, fugere, fugi, fugitum : fugir

uelut : como

umbra (nom. sing.) — umbra, umbrae: sombra

 

E o tempo foge....   mas... ainda há tempo

fugit.jpg                      adhuc tempus.jpg

                        

[ para estudar e rever as questões gramaticais tratadas neste post e no anterior, vá ao Arquivo deste blogue, ano 2014, e veja as lições dos meses de Fevereiro e Março ]

 

 

Nouum iter 5

Medir o tempo

vulnerant omnes.jpg

1.

Vulnerant omnes ultima necat

 

Provérbio latino frequente em relógios, especialmente nos antigos relógios de sol.

O provérbio refere-se ao tempo, às horas e à nossa passagem pela vida, contando essas horas.

 

ANALISANDO, TEMOS:

2 adjectivos:

omnes ( de omnis, omne : todo)

ultima (de ultimus, a, um : último)

2 formas verbais no presente do modo indicativo (uma no plural, outra no singular):

uulnerant ( de uulnero, as, are aui, atum: ferir)

necat ( de neco, as, are, aui, atum : matar)

Os adjectivos (o 1º no plural, o segundo no singular) subentendem um nome:

horae (a concordar com omnes)

hora (a concordar com ultima)

 

Tradução: Todas ferem, a última mata

 

O provérbio pretende alertar-nos para o efeito que o tempo tem em nós. Todas as horas que vivemos, bem ou mal, deixam as suas marcas. Há, portanto, que vivê-las o melhor possível para que a sua marca não seja uma ferida fatal, para assim podermos atrasar a “última”.

Não é, pois, de estranhar que este provérbio apareça, essencialmente, nos relógios, o símbolo da passagem do tempo

 

  1. Outros relógios que falam:

sine sole.jpg

Sine sole sileo

Aqui, aparece-nos o relógio transformado em ser animado.

Ele fala, temos um verbo na 1ª pessoa do singular:

sileo (1ª p. sing. do indicativo presente) : verbo sileo, es, ere, silui : calar; calar-se; descansar

sileo: eu calo-me; eu fico em silêncio

sine sole : temos a preposição sine (= sem) que rege um nome em ablativo — sole (de sol, solis : sol)

 

Então, o relógio diz de si próprio: Sem sol calo-me

 

O que significa isso?

— Trata-se de um relógio de sol, logo, só funciona se houver sol, uma vez que é a projeção da luz solar que indica as horas

— Mas isso poderá também levar-nos a reflectir sobre o tempo e o seu significado, levar-nos a observar cada dia  com a sua importância específica, sobre a LUZ que o sol simboliza.

 

Do Latim ao Português:

1. Da mesma raiz do verbo uulnerare, o latim tem:

- o nome neutro, da 3ª declinação, tema em consoante uulnus, uulneris :  ferida

- o adjectivo uulnerabilis, uulnerabile : vulnerável

 Daí o português:

- vulnerável / invulnerável

- vulnerabilidade / invulnerabilidade

 

2. Da família de sileo  temos, em latim:

- o nome neutro da 2ª declinação  silentium, silentii : silêncio

- silens, silentis : particípio presente de sileo é o adjectivo: silencioso

Daí o português:

- silêncio , silencioso, silente

- silenciar

 

 

 

Nouum iter 4

As palavras têm moda

O poeta diz-nos que, tal como a vida dos homens e das plantas, as palavras vão mudando, desaparecendo umas para dar lugar a outras.

Assim a língua é considerada um fenómeno natural:

Vt siluae foliis pronos mutantur in annos,

prima cadunt, ita uerborum uetus interit aetas,

et iuuenum ritu florent modo nata uigentque.

                                               Horácio, Arte Poética, 60-62

Vejamos:

Temos, no 1º e 2º versos, os termos da comparação: ut siluae... ita uetus aetas uerborum...

pronus, prona, pronum : inclinado para a frente; que desce

proni anni : o findar do ano; o fim da estação

in annos pronos : no fim da estação/para o fim da estação; no findar dos anos

mutantur : 3ª pessoa do plural do presente do indicativo, voz passiva, de muto, as, are, aui, mutatum: mudar; transformar-se

(é no findar de cada ano que as florestas se transformam no que toca às folhas e as que caem primeiro são as mais velhas, as mais antigas)

cado, cadis, cadere,  cecidi, casum : cair

prima — refere-se a folia ; folium, folii (neutro): folha

primus, prima, primum : aquele que está à frente de tudo;  o primeiro (no tempo ou no espaço)

prima folia serão as folhas que estão à frente no tempo, que apareceram primeiro, logo, as mais antigas, as mais velhas

uetus, ueteris (adjectivo uniforme): velho; idoso; antigo; de outros tempos  — daqui vem o português  veterano, que se refere ao mais antigo (numa profissão, num curso, etc.)

aetas, aetatis (f.): idade; tempo; geração — daqui vem o português etário

interit : 3ª pessoa do singular do presente do indicativo de intereo (composto de inter + eo), is, ire, iui, itum ; perder-se, desaparecer; acabar; extinguir-se

florent : 3ª pessoa do plural do presente do indicativo do verbo, de tema em -e,  floreo, flores, florere, florui : florir; florescer; brilhar [ o sujeito é o mesmo da oração anterior — as palavras ]

uigent : 3ª pessoa do plural do presente do indicativo do verbo, de tema em -e,  uigeo, es, ere, uigui: ser forte, cheio de vida; estar vigoroso

ritus, ritus (m.): uso, costume; modo

iuuenis, iuuenis : jovem

iuuenum ritu : à maneira dos jovens

modo : recentemente; há pouco

natus, a, um (particípio passado do verbo nascor, nasceris, nasci, natus sum : nascer)

nata (nom. do plural neutro, refere-se a uerba do verso anterior)

modo nata : aquelas (palavras) há pouco nascidas

 

Tradução total:

Tal como as florestas se transformam quanto às folhas [ ... mudam de folhas] no findar dos anos, caem as mais antigas, assim também a velha geração das palavras se extingue, e à maneira dos jovens, aquelas há pouco nascidas florescem e ficam cheias de vida.

 

Questões gramaticais:

Flexão verbal:

Verbo irregular : eo, is, ire, iui / ii , itum : ir

             Particípio presente : iens, euntis: indo, que vai ou ia

            Imperativo presentei : vai. ; ite : ide

Compostos: exeo, exis, exire, exiui / exii, exitum : sair

                       transeo, transis, transire, transiui, transitum: ir para além, atravessar

                       redeo, redis, redire, rediui, reditum: voltar

 

Veja-se o significado dos vocábulos portugueses:

— transitar; trânsito ;  transeunte

— êxito

Nouum iter 3

Provérbios

  1. Bonum uinum laetificat cor hominis (provérbio medieval)
  2. Verba uolant, scripta manent (provérbio)

Dois interessantes provérbios, de fácil compreensão e tradução.

Vejamos:

  1.  

— como sujeito uma palavra do género neutro — uinum, uini  “vinho” — com o adjectivo a concordar — bonum

— a forma verbal — laetificat — lembra-nos o adjectivo laetus  “alegre”

       É deste adjectivo laetus (no acusativo “laetum”, visto ser o acusativo o “caso etimológico”, isto é, aquele de onde deriva a maior parte das palavras portuguesas) que vem o português “ledo” (= alegre), tão presente em Camões:

            “ Aquela triste e leda madrugada” (soneto)

            “Naquele engano de alma ledo e cego” (Os Lusíadas, episódio de Inês de Castro)

Lembremos também o nome próprio Letícia

    Então o verbo laetificare significará “alegrar”  

— como complemento directo de laetificat  temos “cor hominis

        cor, cordis (nome neutro) significa “coração”

          Com esta palavra se relacionam pela etimologia, os vocábulos portugueses:

           — cordial

           ­— concordar

          — acordar

         — saber de cor

hominis é complemento do nome cor — trata-se do genitivo de homo

Então:

              Um bom vinho alegra o coração do homem.

2.

O segundo provérbio remete-nos para a importância da gravação de tudo o que é importante, visto que o que está escrito jamais se perderá:

                 As palavras voam, os escritos permanecem.

— temos dois nomes neutros, ambos no nominativo do plural, cada um deles servindo de sujeito a uma forma verbal:

uerbum, uerbi “palavra”

    uerba — é o sujeito de uolant, do verbo uolare, que está na origem do português volante, volátil

    de uerbum vem o português :

                      verbo

                      verbal

                      verbalizar

scriptum, scripti  significa “escrito”, “texto escrito”

             scripta — é o sjeito de manent, do verbo manere “permanecer”

 

Nouum iter 2

Olhemos hoje para este provérbio medieval:

  • Amicitia inter pocula contracta plerumque est vitrea

De análise e significado muito simples. Aqui temos:

o sujeito: amicitia

o verbo copulativo est , com o predicativo do sujeitovitrea.

Sendo vitrea um adjectivo que concorda com o sujeito, está no género feminino.

Este adjectivo é derivado do substantivo vitrum, vitri "vidro" — logo, vitreus, a, um quer dizer "de vidro" , "vítreo".

Então: a amizade é de vidro (quer dizer, facilmente se quebra).

junto ao sujeito amicitia  temos um complemento desse nome — inter pocula contracta; trata-se de uma especificação, não é qualquer amizade, mas é aquela  inter pocula contracta

— Analisando a expressão, vemos que  contracta é o particípio contractus, a, um, do verbo contraho que significa "contrair" — será, pois, um nominativo feminino, a concordar com o sujeito amicitia.

resta inter pocula — sabendo que a preposição inter  "entre" rege acusativo, concluímos tratar-se de um acusativo do plural, género neutro, do substantivo poculum, poculi que significa "copo", "acção de beber" , logo, "bebida" — será, então, uma amizade contraída entre copos, entre bebidas.

Resta o vocábulo plerumque  — advérbio que significa "geralmente", "várias vezes" — logo, a afirmação não é radical, deixa a ideia de que isso não acontece sempre, mas é usual.

Vemos, então, que o provérbio chama a atenção para o facto de o estado de embriaguês não ser propício a verdadeiras amizades visto que o indivíduo não se encontra em plena consciência dos seus actos.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub