Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

LATIM PARA AMADORES

Este é um caderno de notas, de apontamentos — vamos aprender latim. É um curso para amadores — amadores no sentido etimológico do termo: "amador" é "aquele que ama", aquele que ama a língua latina e quer aprendê-la.

LATIM PARA AMADORES

Este é um caderno de notas, de apontamentos — vamos aprender latim. É um curso para amadores — amadores no sentido etimológico do termo: "amador" é "aquele que ama", aquele que ama a língua latina e quer aprendê-la.

19ª lição — documentum decimum nonum

O  mito de Prosérpina

Prosérpina, Perséfone para os Gregos, era filha de Ceres, a deusa dos campos, protectora das colheitas. Um dia, enquanto a jovem colhia flores com algumas companheiras, Plutão, enamorado da sua beleza, raptou-a e levou-a consigo para o seu reino subterrâneo.

A mãe procura-a por toda a parte e, não a encontrando, refugia-se na sua tristeza, que se reflecte na terra, transformando num deserto gelado prados outrora fecundos e verdejantes.

Algum tempo depois, perante a ameaça que tal situação representava para os mortais, Júpiter resolve interceder junto do seu irmão, rei dos Infernos, enviando até ele Mercúrio, que consegue estabelecer um acordo: Prosérpina passará metade do ano junto de seu marido, nos Infernos, e metade, na terra, com a mãe.

É assim que, enquanto Prosérpina está com a mãe, os campos se tornam, de novo, férteis, os prados florescem e as árvores se enchem de frutos. Quando Prosérpina desce aos Infernos, a terra cobre-se de luto, até que a jovem regresse outra vez e tudo se renove. É a Primavera em oposição ao Inverno, simbolizando, deste modo, a constante renovação da Natureza.

 

Proserpinae  raptus

Inferorum deus Proserpinam, pulchram puellam in silua uidet et amat. Itaque eam a deorum domino petit.

Iuppiter, tamen, deo conubium (casamento) negat.

Proserpina in Sicilia habitabat.

Olim, dum prope Aetnam1 cum Diana, Minerua et Cypria2 dea flores legebat, Pluto Proserpinam rapit (rapta).

Ceres quia filiam non reperit ( encontra) tristissima est. Postea eam a deo impetrat.

Tum Proserpina dimidium (metade) anni in terra est, dimidium in Inferis.

Vbi puella in terra habitat, dea Ceres beata est et agri frumento rosisque pleni3 sunt. Cuncta natura laeta est.

Vbi Proserpina apud maritum est, Ceres, frumenti dea, tristissima, lacrimas effundit4. Terra nuda est, frumentum et rosas humanis iam non praebet.

 

Notas:

1 Aetna: monte Etna, na Sicília, onde se situa um vulcão ainda hoje em actividade;

2 dea Cypria : Vénus, assim chamada por se dizer ter nascido na ilha de Chipre;

3 frumento rosisque pleni: cheios de trigo e de rosas;

4 lacrimas effundit : derrama lágrimas ; desfaz-se em lágrimas.

Vocabulário:

dum ( conjunção temporal) : enquanto

quia ( conjunção causal): porque

postea ( advérbio de tempo): depois, mais tarde

itaque : e assim

tamen (conj.): contudo

olim (adv.): um dia

prope (preposição que rege acusativo): junto de

tum ( advérbio de tempo): então

cuncta ( adjectivo feminino): toda

laeta ( adjectivo feminino): alegre

impetro, as, are: obter, conseguir

praebeo, es, ere : dar

peto, is, ere : pedir

lego, is, ere : colher

 

QUESTÕES DE GRAMÁTICA:

Em latim, para além do género masculino e feminino, temos o género neutro

 

A 2ª declinação — síntese

— Tem o genitivo do singular em – i

— O nominativo termina em – us ou em – er (- ir) — nomes, geralmente, masculinos

—    O nominativo termina em – um — nomes do género neutro

Assim:

discipulus, discipuli : aluno, discípulo

dominus, domini : senhor

ager, agri : campo

puer, pueri : rapaz, criança

uir, uiri : homem (varão)

 

 

5 comentários

Comentar post