Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

LATIM PARA AMADORES

Este é um caderno de notas, de apontamentos — vamos aprender latim. É um curso para amadores — amadores no sentido etimológico do termo: "amador" é "aquele que ama", aquele que ama a língua latina e quer aprendê-la.

LATIM PARA AMADORES

Este é um caderno de notas, de apontamentos — vamos aprender latim. É um curso para amadores — amadores no sentido etimológico do termo: "amador" é "aquele que ama", aquele que ama a língua latina e quer aprendê-la.

AB INITIO — 4

DEPOIS DE UMA LONGA PAUSA NAS LIÇÕES DE LATIM, ESTAS NOVAS  LIÇÕES — AB INITIO 1,2,3,4 ... — SÃO UM RECOMEÇO, UMA NOVA INICIAÇÃO PARA QUEM QUISER APRENDER UM POUCO DE LATIM

 

OPTAMOS POR FRASES SIMPLES PARA UMA MAIS FÁCIL COMPREENSÃO

 

1.

Epicurus alumnos in aprico horto docebat.

Análise:

Sujeito: Epicurus

alumnos : acusativo do plural /complemento directo

(in) aprico hortoablativo do singular (regido da preposição in) /complemento de lugar onde

 

docebat — 3.ª pessoa do singular do pretérito imperfeito

 

Vocabulário:

apricus (adj. masc.): soalheiro

hortus: jardim

alumnus: aluno

 

Tradução: (muito fácil).................................................

 

2.

 Barba non facit philosophum.  (Plutarco)

Plutarco: historiador e

filósofo grego (séc. I-II d.C.)

barba : nominativo / sujeito

philosophum : acusativo / complemento directo

 

Tradução :  ........... isto é quase português...........

 

3.

Dat ueniam coruis, uexat censura columbas.  (Juvenal)

Juvenal: poeta satírico do século II d.C.

censura — sujeito de dat e de uexat

 

Vocabulário:

dare (infinitivo): dar

uenia : benevolência, perdão

dare ueniam : perdoar; permitir

uexare (infinitivo): maltratar; vexar

coruus : corvo

columba : pomba

 

Tradução:

A crítica desculpa os corvos e maltrata as pombas.

 

Do latim ao português:

Com que vocábulo latino destas frases se relacionam as palavras portuguesas:

— columbofilia

— vénia

— vexame

 

Declinando:

 

Declinar: dizer todos os casos de uma palavra, isto é, todas as terminações que apresenta, de acordo com a sua função na frase

 

Nomes femininos — tema em -a. — primeira declinação

Singular:

Nominativo:  columba : a pomba (suj.)

Genitivo:        columbae  : da pomba

Acusativo:      columbam : a pomba (c.d.)

Dativo:            columbae : à pomba

Ablativo:        columba : com a pomba

Plural:

Nominativo:  columbae

Genitivo:        columbarum

Acusativo:     columbas

Dativo:           columbis

Ablativo:         columbis

 

Nomes masculinos — tema em -o  — segunda declinação

 

Singular:

Nominativo:  alumnus : o aluno

Genitivo:        alumni : do aluno

Acusativo:      alumnum

Dativo:            alumno : ao aluno

Ablativo:        alumno : com o aluno

 

Plural:

Nominativo:  alumni :  os alunos

Genitivo:        alumnorum: dos alunos

Acusativo:      alumnos

Dativo:           alumnis

Ablativo:        alumnis

 

AB INITIO — 3

Continuando nas frases simples

 

1.

 

a. Experientia docet (Tácito)

Tácito : escritor romano

do século I a.C. – I d.C.

b. Fama uolat (Virgílio)

Virgílio : um dos maiores poetas latinos (século I a.C.);

é autor da epopeia Eneida

 

— Atentemos nas formas verbais: docet  - uolat

 

- – t  desinência da  3.ª pessoa do singular;

- doce- e uola-    —  tema  ;

— o 1.º é um verbo de tema em -e ;

— o 2.º é um verbo de tema em -a

 

— O infinitivo termina em  - re  : docere  / uolare

 

docere : ensinar   [ em português: docente “aquele que ensina” ]

uolare : voar      [ em português têm relação etimológica com a raiz deste verbo os vocábulos: volante, volátil... ]

 

 

2.

                      Historia magistra uitae est.

 

— frase simples: sujeito + predicativo do sujeito + complemento do nome (determinativo)

 

uita / vita : vida ;   uitae : genitivo do singular

magistra : mestra

 

Tradução:

                                 A história é a mestra da vida.

 

 

3.

                    Non scholae sed uitae discimus (Séneca)

Séneca filósofo latino (séc. I d.C.)

 

— schola : escola   ; scholae : dativo do singular

— discimus : 1.ª pessoa do plural do presente do indicativo ;

         - mus (desinência da 1.ª pessoa do plural)

 

Tradução:

 Aprendemos não para a escola  mas para a vida.

 

 

CONCLUINDO:

Síntese gramatical

 

Nominativo do singular : schola ; uita ; magistra ; fama ; historia ; experientia

Genitivo do singular : scholae ; uitae ; magistrae ; famae ; historiae ; experientiae

Acusativo do singular: scholam ; uitam ; magistram ; famam ; historiam ; experientiam

Dativo do singular: scholae ; uitae ; magistrae ; famae ; historiae ; experientiae

 

AB INITIO - 2

Ainda as sentenças de Publílio Siro

 

1.

                        Ibi semper est uictoria, ubi concordia est.

advérbios:

ibi: aí, nesse lugar

ubi: onde

semper : sempre

 

Dois nomes: uictoria ... concordia. [ ambos em nominativo ]

 

Verbo: est (3.ª pessoa do singular do presente do indicativo)

 

As semelhanças com o português são evidentes.

 

Tradução:

Está sempre a vitória aí (nesse lugar) onde está a concórdia.

 

ubi pode ser um advérbio interrogativo.

 

Exemplos:

ubi es?  — Onde estás?

ubi est liber? — Onde está o livro?

ubi est Roma? — Onde fica Roma? ; Roma in Italia est — Roma fica na Itália.

 

Do latim ao português:

ibi > ii (com a queda da consoante intervocálica) > i (esta forma aparece nos textos medievais) > aí

 

2.

                          Fortuna uitrea est; tum, cum splendet, frangitur.

 

fortuna: sorte, boa sorte, felicidade,

uitrea (adjectivo, feminino): de vidro; vítrea

splendet (3.ª pessoa do singular do presente do indicativo): brilha

frangitur (3ª pessoa do singular do presente do indicativo, voz passiva): parte-se

tum : então

cum : quando

 

Tradução:

 A sorte é de vidro; tanto brilha, como se parte.

 

3.

                   Etiam capillus unus habet umbram suam.

 

Análise da frase:

capillus unus : nominativo do singular/sujeito

umbram suam: acusativo do singular/complemento directo

 

Vocabulário:

capillus : cabelo

umbra: sombra

habet (3.ª pessoa do singular do presente do indicativo) : tem

etiam: mesmo, até

 

Tradução:

Mesmo um só cabelo tem a sua sombra.

 

Do latim ao português:

Do étimo de capillus vem o português: capilar

De umbra vem o português: umbroso; penumbra (paene “quase” + umbra)

 

4.

                        Patientia animi diuitias occultas habet.

 

Análise da frase:

patientia (nominativo/sujeito)

animi (genitivo/complemento determinativo)

diuitias occultas (acusativo do plural/complemento directo)

 

Vocabulário:

patientia: paciência

animus: espírito

diuitiae: riquezas

 

Tradução:

                           A paciência do espírito tem riquezas ocultas.

 

CONCLUINDO:

Síntese gramatical

 

Nomes femininos:

Nominativo do singular: patientia, umbra, fortuna, uictoria, concordia

Acusativo do singular: umbram

Acusativo do plural: diuitias

 

Nomes masculinos:

Nominativo do singular: capillus, animus

Genitivo do singular: animi

 

AB INITIO — 1

Comecemos desde o início

Latim para principiantes...  muito incipientes  

incipiente: do verbo

incipio “começar”, é aquele que começa, que inicia algo

 

Frases muito simples

Algumas sentenças de Publílio Siro

Publílio Siro — escritor do século I a.C.;

é autor de máximas morais para uso escolar

Tema: o avarento

 

1.ª frase

                      Auarum irritat non satiat pecunia

 

Atenção à análise da frase:

2 formas verbais: irritat e satiat  (acompanhando a 2.ª forma, a negativa non)

A terminação - t

diz-nos que se trata da 3.ª pessoa do singular

2 substantivos: auarum e pecunia

 

Há que procurar o sujeito (que deve estar em nominativo, o caso latino em que se exprimia)

Casos: diferentes terminações da palavra

de acordo com a função que desempenha na frase

 

— O nome inicial auarum não é o sujeito visto que não está no nominativo:

auarus, auarinome da 2.º declinação, masculino; a terminação -um diz-nos que se trata de um acusativo do singular (acusativo o caso do complemento directo)

 

— O sujeito será pecunia, nome feminino que se encontra no nominativo do singular

pecunia, pecuniae : dinheiro, riqueza — nome da 1.ª declinação; o nominativo termina em -a

 

Tradução:

A riqueza excita o avarento, não o satisfaz  

auarus / avarus: avaro, avarento

 

O vocabulário é muito semelhante ao português — a forma verbal irritat logo nos lembra a palavra portuguesa que daí deriva – o verbo irritar, excitar; e satiat lembra o português saciar

De pecunia deriva o português: pecuniário, por exemplo

 

 

 

 2.ª frase

                Auarus ipse miseriae suae causa est

ipse : pronome, nominativo masculino — o próprio

 

Pela semelhança com a frase anterior, concluímos que auarus é um nominativo, logo, o sujeito de est (forma verbal que de imediato traduzimos por é, pela semelhança com o português e outras línguas românicas)

Estrutura da frase: sujeito + verbo + predicativo do sujeito — ipse auarus est causa... ;

miseriae suae : estas palavras são um complemento do nome causa, estão no genitivo (complemento determinativo)

 

Tradução:

O avarento é ele próprio a causa da sua infelicidade

 

3.ª frase

                    Desunt inopiae pauca, auaritiae omnia

 

inopiae e auaritiaedativo; complemento

de desunt; (faltar alguma coisa a alguém — pauca – inopiae;

omnia -  auaritiae

Tradução:

 À pobreza faltam poucas coisas, à avareza tudo

 

CONCLUINDO:

 

— Em latim, a frase pode começar pelo complemento e o verbo vir no final – veja-se a frase 1.

— O que interessa é a terminação da palavra — ela indica a função que desempenha na frase

— Essas variantes/terminações constituem os CASOS da palavra

— O NOMINATIVO é o caso do SUJEITO

— O ACUSATIVO é o caso do COMPLEMENTO DIRECTO

— O GENITIVO é o caso do COMPLEMENTO DETERMINATIVO

— O DATIVO é o caso do COMPLEMENTO INDIRECTO

— Em latim não há artigos

 

 

 

42ª Lição — documentum quadragesimum secundum

JANEIRO

 

De acordo com a tradição, foi a reforma do calendário efectuada pelo segundo rei de Roma, Numa Pompílio, que acrescentou dois meses (Janeiro e Fevereiro) ao antigo calendário criado por Rómulo.

O calendário cuja criação se atribuía a Rómulo era um calendário agrário de 304 dias, com dez meses muito irregulares. O ano começava em Março e terminava em Dezembro, daí os nomes dos meses, seguindo a numeração: December (de decem -10), o 10º mês, como Nouember (de nouem-9), o 9º mês, October (de octo -8), o 8º mês, September (de septem- 7), o 7º mês.

O mês de Janeiro era dedicado a Jano, considerado o deus das portas, das entradas. Mas este mês não foi sempre o primeiro mês do ano.

O ano começava em Março, quando os cônsules eleitos tomavam posse.

Foi só no ano 153 a.C. que Ianuarius se tornou o primeiro mês do ano. Quinto Fúlvio Nobilior, cônsul eleito nesse ano, ocupa o cargo no dia 1º de Janeiro. A causa foi a guerra com os Celtiberos, na Hispânia. Por uma questão de urgência de tempo, foi necessário nomear o cônsul mais cedo pois a campanha seria curta se ele só entrasse em funções a 15 de Março.

 

Segundo uma tradição romana, Jano era um antigo rei de Itália que foi divinizado.

Terá vindo para Itália e fundado uma cidade numa colina, que, a partir do seu nome se chama Janículo. Teve um filho chamado Tiber, que dá nome ao rio Tibre. Reinou no Lácio e aí terá acolhido Saturno quando este deus foi expulso do Olimpo pelo seu filho Júpiter. Como recompensa, Saturno ter-lhe-á ensinado as artes de cultivar a terra e o seu reinado é associado à Idade do Ouro. São-lhe atribuídas muitas invenções, entre elas, a invenção do dinheiro. As primitivas moedas romanas trazem a efígie de Jano, representado com duas cabeças.

Por tudo isso, após a sua morte foi divinizado.

 

Assim nos conta Macróbio, escritor romano dos séculos IV-V d.C., na sua obra Saturnalia:

 

Hic igitur Ianus, cum Saturnum classe peruectum excepisset hospitio et ab eo edoctus peritiam ruris ferum illum et rudem ante fruges cognitas uictum in melius redegisset, regni eum societate munerauit. Cum primus quoque aera signaret, ...

Macróbio, Saturnalia, I, 1,7.

Vocabulário e notas:

excipio, is, ere, excepi, exceptum: receber, acolher, receber como hóspede

excipere aliquem hospitio: receber alguém como hóspede, dar hospitalidade

cum [Janus] Saturnum hospitio excepisset: como Jano tivesse dado hospitalidade a Saturno; tendo Jano recebido Saturno como hóspede

peruectumparticípio de perueho, is, ere, peruexi, peruectum (concordando com Saturnum): levar até; chegar a

classis, is: armada

edoceo, es ere, docui, doctum: ensinar bem, instruir

edoctus (esset) — [cum Janus ] edoctus esset ab eo: [como Jano] tivesse sido instruído por ele;

peritia, ae: conhecimento

redigo, is, ere, egi, actum: tornar

et … redegisset in melius … illum ferum et rudem … uictum

cognitus, a, um : conhecido

fruges, um: produções da terra

veja-se:

[ et cum Janus ] ab eo (Saturno] edoctus … redegisset in melius … illum ferum et rudem uictum … ante cognitas fruges… : instruído por ele, tivesse tornado melhor aquele alimento grosseiro e rude antes do conhecimento dos produtos da terra

munero, as, are, aui, atum: recompensar

signo, as , are, aui, atum: cunhar (moeda)

aes, aeris (n.): bronze, cobre; dinheiro, moeda

Captura de ecrã - 2017-01-05, 17.06.18.png

 

41ª lição — documentum quadragesimum primum

Léxico latino — O corpo humano (2)

corpus humanum 2.png

imagem retirada de Adulescens, an. VII, Maio, 1990.

os, oris (n.): boca

labia, labiorum (n.pl.): lábios

nasus, nasi (m.): nariz

genae, genarum (f.pl.) : faces: bochechas

oculus, oculi (m.): olho

cilium, cilii (n.): pálpebra

cilia, ciliorum (n.pl.): pestanas

supercilium, supercilii (n.): sobrancelha

mentum, menti (n.): queixo

manus, manus (f.): mão

palma, palmae (f.): palma da mão; mão

prima palmae pars: primeira parte da mão, quer dizer, pulso

digitus, digiti (m.): dedo

pollex, pollicis (m.): polegar

 

Do latim ao português:

— Tendo em conta este léxico, veja a origem e significado dos vocábulos portugueses:

    - nasal

    - oral

   - digital

   - ocular

   - cílio  / celho  /  celha

   - sobrancelha

   - cilhudo

   - carregar a celha

40ª Lição — documentum quadragesimum

 Léxico latino — O corpo humano ( 1 )

Corpus humanum

corpus humanum.png

imagem retirada de: Adulescens, An. VII, 1990   

corpus, corporis (neutro): corpo

caput, capitis (neutro): cabeça

facies, faciei (f.) : rosto, fisionomia

frons, frontis (f.) : cara, rosto

capillus, capilli (m.): cabelo

auris, auris (f.) : orelha, ouvido

collum, colli (n.): pescoço

umerus / humerus, humeri (m.) : ombro

pectus, pectoris (n.): peito

brachium, brachii (n.): braço

cubitus, cubiti (m.): cotovelo

venter, ventris (m.): ventre; barriga

genu, genus (n.): joelho

crus, cruris (n.): perna

talus, tali (m.): tornozelo

pes, pedis (m.) : pé

tergum, tergi (n.): costas

 

 Do latim ao português:

— E agora já sabe onde fica:

     - o osso chamado cúbito

     - o osso chamado úmero

— Sabe a origem e o sentido de genuflexão

— Entende por que razão se chama talar às vestes dos sacerdotes e a alguns trajes académicos

— E percebe a origem do vocábulo capilar

— Fica a saber que tergiversar significa virar as costas ( de tergum + vertere )

 

 

3ª lição — documentum tertium

Ecce Flora!

1. Flora dea erat: Flora era uma deusa.

2. Puella amat deam Floram: a rapariga ama a deusa Flora.

3. Pictura pulchra est: a pintura é bonita.

4. In pictura deam Floram uideo: na gravura (pintura) vejo a deusa Flora.

5. In pictura deam Floram uidemus: na gravura vemos a deusa Flora.

 

Observemos: 

a) Frase 1: frase nominal — sujeito - Flora +  predicado nominal (verbo+predicativo do sujeito) - dea erat; erat: pela semelhança com o português, vemos que se trata do pretérito imperfeito do modo indicativo - 3ª pessoa do singular (desinência - t )

b) Frase 2 constituída por : sujeito - puella-  + predicado (verbo+complemento directo)- amat deam Floram

c) Frase 3: semelhante à 1

d) Frases 4 e 5: o sujeito não está expresso, está incluído na terminação da forma verbal — uideo: 1ª pessoa do singular (eu); uidemus: 1ª pessoa do plural (nós) ; in pictura — indica o lugar (onde): in é uma preposição; pictura — trata-se de um outro caso latino, o ABLATIVO.

 

CASOS:

NOMINATIVO — caso do sujeito e do predicativo do sujeito — nos nomes femininos das frases anteriores termina em - a

ACUSATIVO — caso do complemento directo — nos nomes femininos das frases anteriores termina em - am

ABLATIVO — caso de alguns complementos circunstanciais — nos nomes femininos anteriores termina em - a

 

LER - COMPREENDER — TRADUZIR

Roma est in Italia. Italia est in Europa; non est insula, sed paeninsula, longa, non lata. Italia est terra magna et bona. Pulchra quoque (também) est. 

Roma noua est in Italia antiqua. In Europa magna est. 

Lusitania est in Europa. Lusitania est in paeninsula hispanica. In Lusitania habito et patriam meam amo. Lusitania est terra parua (pequena) sed pulchra.

 

Do latim ao português:

insula: ilha — daí: insular,insularidadepenínsula (paene 'quase' + insula 'ilha'), ínsua

uideo /video : eu vejo — daí vídeo, vidente,...

 

{#emotions_dlg.redflower}{#emotions_dlg.sadflower}